Notícias

NOVA DIRETORIA DO SINDOJUS/PI É ELEITA E EMPOSSADA.

 

Na manhã do dia 06 de junho de 2014, em Assembleia Geral Ordinária de eleição da nova gestão do Sindicato dos Oficiais de Justiça Avaliadores do Piauí – SINDOJUS/PI, a Chapa “Luta, Conquista e Ação”, presidida pelo Sr. Maércio da Silva Maia, tomou posse e assumirá a gestão no triênio 2014/2017.

A eleição da nova diretoria e conselho fiscal se realizou por aclamação, considerando que somente houve uma única chapa inscrita e homologada pela Comissão Eleitoral.

Na oportunidade o diretor presidente da atual gestão, Sr. Adriano Costa Brandão, proferiu discurso enfatizando as conquistas e realizações patrocinadas pela entidade no triênio 2011/2014. (integra do discurso abaixo)

Em seguida o presidente da Comissão Eleitoral, Sr. Alexandre Sá de Oliveira, conduziu a assembléia tecendo minuciosamente todos os procedimentos da comissão, nos termos preconizados pelo estatuto e posteriormente encerrou com a aclamação da nova diretoria.

O representante da chapa eleita promoveu discurso solicitando mais aproximação dos filiados a entidade, pontuando algumas questões que serão trabalhadas como prioridades, já no início da gestão, como o reajuste da periculosidade e da Indenização de transporte.

 

Integra do discurso de encerramento da gestão “COMPROMISSO, ORGANIZAÇÃO E ÉTICA”.

“Toda despedida normalmente é triste, aqui para mim reveste-se da mais pura alegria. Alegria de ter conduzido com zelo e dedicação a mais invejada entidade representativa de servidores do Poder Judiciário Piauiense.

É tempo de despedida, de agradecimento, de avaliação e, também, de reflexão. Agradecemos a todas as pessoas, entidades, instituições, parceiros e, especialmente aos nossos associados e associadas, que ajudaram a manter acesa a chama da esperança de que dias melhores virão para a categoria dos Oficiais de Justiça do Estado do Piauí. Agradeço a todos os pais e mães de família, trabalhadores descentes da categoria dos Oficiais de Justiça que confiaram em nossa gestão.

Em especial, gostaria de agradecer ao Sr. Francisco das Chagas Sousa Queiroz que de maneira incisiva promovia e impulsionava as atividades deste sindicato. Confesso que sem ele me cobrando todos os dias, não teria tido atitude suficiente para solucionarmos tantos problemas. MUITO OBRIGADO!!

Tivemos a honra e o privilégio de conduzir nossa antiga ASSOJESPI, que se transformou nesse expressivo sindicato. Acredito que o conduzimos bem. Trabalhamos muito, aprendemos bastante, crescemos demais!!! Crescemos como pessoas, como profissionais e, principalmente, como gestores e representantes da categoria.

Como afirma nosso companheiro Felipe Marcelino, sempre muito sensato e cauteloso, “nossa entidade cresceu tanto ao ponto do próprio filiado não mais acompanhar sua evolução, pois muitos ainda mantem na memória a antiga associação, que não raras as vezes servia mais de socorro financeiro para poucos privilegiados”.

Nós chegamos e mudamos, em curto espaço de tempo, radicalmente, transformamos nossa entidade em algo bastante significativo. Tanta expressão se revelou imediatamente, onde nos inserimos e adquirimos respeito nas mais diversas comissões dentro do Tribunal, numa demonstração clara que nos destacamos enquanto representantes de uma única categoria e que nossa contribuição sempre foi positiva, equilibrada, mas também desafiadora, nunca sucumbindo diante dos poderosos.

Muitos me intitulam de arrogante, quero dizer a essas pessoas que não sou arrogante, pois a arrogância é o sentimento que caracteriza a falta de humildade, e humildade sempre tive. Na verdade, me considero um intolerante: intolerante a servidor desidioso, intolerante a servidor corrupto, intolerante a servidor que coloca em risco até a vida de outro colega para se satisfazer. Para esse tipo de gente, independente de sindicato, sempre serei intolerante e peço, por favor, mantenham distância.

E digo mais, enquanto existir pessoas com esses atributos, circulando no meio de trabalhadores descentes da categoria dos Oficiais de Justiça, nossa imagem e valorização profissional estará prejudicada. Não tem sindicato no mundo que consiga valorizar sua categoria se a valorização não partir de cada indivíduo. Por isso sempre digo, trabalhem que decência, desempenhem com zelo sua função, cada ato que se faz repercute na sua valorização profissional.

Fazendo um balanço resumido das atividades da gestão COMPROMISSO, ORGANIZAÇÃO E ÉTICA, várias foram as atuações patrocinadas por nossa entidade, dentre outras podemos citar:

Transformação da antiga associação em sindicato;

Elaboração e aprovação de novo estatuto;

Construção da sede administrativa própria, moderna e organizada;

Reajuste da indenização de transporte;

Implantação da central de mandados;

Implantação do bilhete eletrônico-passe livre;

Implantação da nova identidade funcional;

Dispensa na entrega dos Ofícios;

Visita a 42 comarcas do interior;

Filiação de 72 novos associados;

Interposição de Ações Judiciais;

Interposição de Procedimento de Controle Administrativo no CNJ;

Impulso de ações judiciais sem movimentação;

Inclusão de forma pioneira de representante da categoria na comissão de orçamento, bem como na comissão de subsídio e reestruturação;

Implementação do novo site, com melhor plataforma;

Promoção da defesa dos filiados em processo administrativo;

Promoção da melhor distribuição da força de trabalho dos OJs;

Propositura e intervenção no novo código de normas da CGJ;

Propiciamos inúmeros encontros, Assembleias, Plenárias e Reuniões;

Provocamos a realização do Concurso de remoção;

Denunciamos irregularidades do Tribunal de Justiça;

Lutamos juntamente com o SINDSJUS para a aprovação do auxílio saúde e reajuste do auxílio alimentação;

Implantamos o auxílio funeral em nossa entidade;

Aprovação da Lei de Estacionamento Livre;

Contribuímos efetivamente para a Implantação do subsídio.

Combatemos o desvio de função;

Iniciamos a discussão na Assembleia Legislativa sobre a isenção do ICMS;

Adquirimos veículo próprio para viabilizar a presença do sindicato nas comarcas do interior;

e inúmeras intervenções junto a Corregedoria e Presidência do TJ.

Hoje, temos claro que, apesar de nossos pleitos por melhores remunerações e condições dignas de trabalho ser justo, ele somente será atendido se nos mobilizarmos. Vejo que atualmente grande parte da categoria cobra, reinvidica e critica, mas, infelizmente, não participa. A força de nosso sindicato é composta da reunião de nossas forças. O sindicato sozinho não tem como lograr êxito.

O que percebo, cristalinamente dentro de nossa categoria, é que alguns vergonhosamente, mantem atitudes no intuito de atrapalhar, de colocar pra baixo, de espalhar boatos tentando atingir a própria entidade. (ABSURDO!)

Digo sem sombra de dúvida, que o maior desafio nesses 03 anos não foram os embates, as discussões e conflitos dentro do TJ, mas simplesmente algumas atitudes de alguns colegas de trabalho, que nos deixam profundamente angustiados ao ponto de, por várias vezes ter me questionado: SERÁ QUE VALE A PENA?

Esperamos que a cada dia nossa entidade se fortaleça, com filiados e representantes dignos de representarem a categoria, conhecedores profundos da legislação e dos anseios da classe, que possam consolidar nosso sindicato como um mecanismo de defesa contra o arbítrio, o crime, a violência e contra todos os abusos do poder. Uma instituição com equilíbrio, com autoridade ética para mediar conflitos e encontrar soluções, enfim uma instituição moderna e profissional, colocada ao dispor e a serviço de sua categoria, com eficiência e transparência.

Por tudo isso, repito, estou muito satisfeito, satisfeito em ter desempenhado com compromisso, zelo e respeito a condução de nossa entidade e saber que uma pessoa também compromissada irá dar continuidade a nossa missão.

Agradeço aqui ao Maércio, que sempre se manifestou apoiando nossa candidatura a reeleição, numa demonstração clara de reconhecimento que nosso trabalho estava sendo bem realizado. Obrigado Maércio, esse reconhecimento vindo de sua pessoa, pra mim é o suficiente para que deixe a presidência de nosso sindicato de cabeça erguida e ciente de que realizei meu trabalho com muito afinco e dedicação. E ainda me convenceu em participar da chapa, coisa que não pretendia, mas não pretendia por desprezo ou arrogância, mas por que essa atividade cansa e se revela por demais desgastante.

Pois bem, senhores e senhoras, só me resta agora desejar a nova gestão, denominada de LUTA, CONQUISTA E AÇÃO, uma excelente gestão, uma gestão exitosa, no triênio 2014/2017, e que nossa entidade evolua cada vez mais e responda cada vez mais aos anseios da categoria dos Oficiais de Justiça do Piauí.

Obrigado a todos.

Adriano Costa Brandão

 

 

 

 

IMPRIMIR
Comentarios

Nome:

Email:

Código*
cdigo captcha

Comentario: