Notícias

Janeiro Branco

 

Em atenção ao Janeiro Branco, nosso querido presidente do conselho fiscal, OJ e estudante de medicina, Cleanto Luz preparou a seguinte matéria com informações necessárias a respeito dessa campanha importante: 


 “Todo Cuidado Conta” ( ANS)

            No Brasil, o mês de janeiro foi escolhido como o mês da saúde mental, tendo o branco como sua cor simbólica pois estima-se que em cada 100 pessoas pelo menos 30 delas tenham ou venham a ter problemas de saúde mental.  A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) chama a atenção para a importância dos cuidados com a saúde mental, que vem sendo afetada em todo o mundo pela pandemia do novo coronavírus. A ação deste ano busca promover um pacto pela saúde mental em meio à pandemia da covid-19. 

O cenário de pandemia acentuou o sofrimento psíquico na população provocado pelo isolamento decretado em função da pandemia. Fatores que influenciam o impacto psicossocial estão relacionados à magnitude da epidemia e ao grau de vulnerabilidade em que a pessoa se encontra no momento.

IMPACTOS DA PANDEMIA DO COVID-19 NA SAÚDE MENTAL

·         Contexto de incertezas e múltiplas adversidades;

·         Distanciamento social/físico: a experiência do confinamento Trabalho remoto x trabalho presencial x desemprego;

·         Equipes de saúde vivem rotinas exaustivas e angustiantes;

·         Nos hospitais, os pacientes perdem contato com a família;

·         O medo da morte solitária e da despedida incompleta;

·         Os abalos nos mecanismos culturais de elaboração do luto.

           

QUAIS OS PRINCIPAIS PROBLEMAS DE SAÚDE MENTAL?

DEPRESSÃO

De acordo com a definição do Ministério da Saúde, a depressão é um dos problemas de saúde mental mais comuns no mundo. É considerada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como o “Mal do Século”. Trata-se de um distúrbio afetivo que afeta a vida emocional da pessoa, que passa a apresentar tristeza profunda, falta de apetite, de ânimo e perda de interesse generalizado. Além disso, patologicamente, há presença de pessimismo, baixa auto-estima, que aparecem com freqüência e podem combinar-se entre si.

Dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) mostram que a depressão atinge 5,8% da população brasileira, e distúrbios relacionados à ansiedade afetam 9,3%. No entanto, o número de pessoas diagnosticadas com alguma doença emocional tem aumentando e isso, segundo a OMS, é uma boa notícia pois aponta que um número maior de pessoas está tratando sua saúde mental. 

A depressão, um dos problemas mais comuns da saúde mental, pode afetar qualquer pessoa, inclusive aquelas que parecem viver em circunstâncias relativamente ideais, e levar a consequências graves, como à automutilação e até ao suicídio.

Vários são os motivos que podem levar uma pessoa à depressão e à ansiedade como transtornos psiquiátricos, estresse crônico, disfunções hormonais, vícios (cigarro, álcool e drogas ilícitas), experiências de violência doméstica ou abuso, perda do emprego, desemprego por tempo prolongado, separação conjugal, entre outros.

Assim, é imprescindível o acompanhamento médico tanto para o diagnóstico quanto para o tratamento adequado.

ANSIEDADE

O Brasil é considerado o país mais ansioso e estressado da América Latina. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), nos últimos dez anos o número de pessoas com depressão no mundo todo aumentou 18,4%. Então, isso corresponde a 322 milhões de indivíduos, ou 4,4% da população da Terra. No Brasil, 5,8% dos habitantes – a maior taxa do continente latino-americano – sofrem com o problema.  Além disso, também foi identificado que o sexo feminino é o que mais sente as consequências com 7,7% sendo ansiosas. Nos homens, a porcentagem cai para 3,6%.

SÍNDROME DO PÂNICO

A síndrome do pânico ou, conforme denominada pela Psiquiatria, Transtorno do Pânico, é uma enfermidade que se caracteriza por episódios  abruptos  absolutamente inesperados de medo e desespero.

Quem padece de síndrome do pânico sofre durante as crises e ainda mais nos intervalos entre uma e outra, pois não faz a menor ideia de quando elas ocorrerão novamente, se dali a cinco minutos, cinco dias ou cinco meses. Isso traz tamanha insegurança que a qualidade de vida do paciente fica seriamente comprometida.

 

ONDE BUSCAR ATENDIMENTO

            Uma pessoa que necessita de atendimento em saúde mental deve, primeiro, buscar acolhimento na rede de atenção básica mais próxima de seu domicílio. Em caso de surto psiquiátrico, é preciso acionar o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu 192), para ser encaminhado para o atendimento de urgência e emergência mais próximo.

            A Rede de Atenção Psicossocial do Estado do Piauí possui atualmente 67 (sessenta e sete) Centros de Atenção Psicossocial – CAPS; 100% de cobertura de Atenção Básica nos municípios; Serviços Hospitalares de Urgência e Emergência, ambulatórios especializados, dentre outros serviços que ofertam cuidado em saúde mental.

Para orientar a comunidade e profissionais de saúde, a Fiocruz lançou uma série de cartilhas com recomendações para o enfrentamento dos desafios à saúde mental no contexto da pandemia, conforme https://www.fiocruzbrasilia.fiocruz.br/coronavirus/saude-mental-em-tempos-de-coronavirus/

O cuidado com a saúde mental deve ser observador por toda a sociedade, em especial a família, os profissionais de saúde e o Governo na construção de um novo paradigma para evitar preconceitos e assim fazer prevalecer o completo bem estar físico, mental e social.

 

 

 

REFERÊNCIAS

- CARTILHA: SAUDE MENTAL. Disponível em:< https://www.fiocruzbrasilia.fiocruz.br/coronavirus/saude-mental-em-tempos-de-coronavirus/> Acessado em 22 de jan. de 2021.

- JANEIRO BRANCO. Disponível em: <https://agenciabrasil.ebc.com.br/saude/noticia/2021-01/janeiro-branco-alerta-para-importancia-de-cuidados-com-saude-mental>. Acessado em 22 jan. de 2021.

- Disponível em: <http://www.ans.gov.br/images/Renata_Lopes_-_ANS.pdf>. Acessado em 22 jan. de 2021.

- Janeiro Branco A primeira meta é cuidar da gente mesmo. Disponível em: <https://www.ostomais.com/janeiro-branco-saude-mental/> Acessado em 22 jan. de 2021.

IMPRIMIR
Comentarios

Nome:

Email:

Código*
cdigo captcha

Comentario: